CBR - Conexão Brasil Rússia

A História do Kremlin


O Kremlin, é um complexo fortificado no centro da capital russa, nas margens do rio Moskva ao sul, com a Catedral de São Basílio e a Praça Vermelha a leste e o Jardim de Alexandre a oeste. É composto por inclui cinco palácios, quatro catedrais e uma muralha com torres. O complexo serve como a residência oficial do Presidente da Federação Russa.


Em 1156, o príncipe Yuri Dolgoruki escolheu a confluência dos rios Moskva e Neglinaya para construir a primeira fortaleza (Kremlin) de madeira na cidade. No fim do século XV o Czar Ivan III convidou vários arquitetos italianos para construir novos prédios suntuosos. Eles projetaram a Catedral da Assunção e o Palácio facetado entre outros, em um amalgama entre os estilos russo e renascentista.

 

 


Dmitri Donskoi substituiu as paredes de carvalho por uma forte cidadela de pedra calcária branca entre 1366 e 1368, sobre os fundamentos básicos das paredes atuais; esta fortificação resistiu a um cerco de Toctamix.


O filho de Dmitri, Basílio I, retomou a construção das igrejas e claustros do Kremlin. A recém-construída Catedral da Anunciação foi pintada por Teófanes, o Grego, Andrei Rublev e Prokhor em 1406. O Mosteiro Chudov foi fundado pelo tutor de Dmitri, Alexis enquanto sua viúva, Eudoxia, estabeleceu o Convento da Ascensão em 1397.


Ivã III organizou a reconstrução do Kremlin, convidando vários arquitetos qualificados na Itália renascentista, como Petrus Antonius Solarius, que projetou a nova muralha do Kremlin e suas torres, e Marcus Ruffus, que projetou um novo palácio para o príncipe.


Foi durante seu reinado que as três catedrais existentes no Kremlin foram construídas. O edifício mais alto da cidade e da Rússia moscovita era Campanário de Ivã III da Rússia, construído entre 1505 e 1508 e ampliado para a sua altura atual em 1600. As paredes do Kremlin como estão atualmente foram construídas entre 1485 e 1495.

 


Embora ainda usado para cerimônias de coroação, o Kremlin foi abandonado e negligenciado até 1773, quando Catarina a Grande contratou Vasili Bazhenov para construir sua nova residência lá. Bazhenov produziu um design neoclássico em uma escala heroica, que envolveu a demolição de várias igrejas e palácios, bem como uma parte da parede do Kremlin. Depois que os preparativos acabaram, a construção parou devido à falta de recursos.


Vários anos mais tarde, o arquitecto Matvey Kazakov supervisionou a reconstrução das secções desmanteladas do muro e de algumas estruturas do Mosteiro de Chudov e construiu os amplos e luxuosos escritórios do Senado.


Durante o período imperial, do início do século XVIII e até o final do século XIX, as paredes do Kremlin eram tradicionalmente pintadas de branco, de acordo com a moda da época.
Após a invasão francesa da Rússia em 1812, as forças francesas ocuparam o Kremlin de 2 de setembro a 11 de outubro. Quando Napoleão se retirou de Moscou, ordenou que todo o Kremlin fosse explodido. O Arsenal do Kremlin, várias porções do Muro do Kremlin e várias torres foram destruídas por explosões e incêndios danificaram a Câmara Facetada e as igrejas. As explosões continuaram por três dias, de 21 a 23 de outubro.


Os trabalhos de restauração foram realizados em 1816-19, supervisionados por Osip Bove. Durante o resto do reinado de Alexandre I, várias estruturas antigas foram renovadas em um estilo neo-gótico fantasioso.

 


Depois de 1851, o Kremlin pouco mudou até a Revolução Russa de 1917; Os únicos novos recursos adicionados durante este período foram o Monumento a Alexandre II e uma cruz de pedra marcando o local onde o Grande Duque Sergei Alexandrovich da Rússia foi assassinado por Ivan Kalyayev em 1905. Estes monumentos foram destruídos pelos bolcheviques em 1918.


O governo soviético mudou-se para Moscou em 12 de março de 1918. Vladimir Lenin selecionou o Senado do Kremlin como sua residência. Joseph Stalin também tinha seus quartos pessoais no Kremlin. Ele estava ansioso para remover todas as "relíquias do regime czarista" de sua sede. Águias douradas nas torres foram substituídas por brilhantes estrelas do Kremlin, enquanto a parede perto do Mausoléu de Lenin foi transformada na Necrópole do Muro do Kremlin.


O Mosteiro de Chudov e o Convento da Ascensão, com as suas catedrais do século XVI, foram desmantelados para dar lugar à escola militar e ao Palácio dos Congressos. A residência do governo soviético foi fechada aos turistas até 1955. Somente com Khrushchev Thaw que o Kremlin foi reaberto para visitantes estrangeiros. Os Museus do Kremlin foram estabelecidos em 1961 e o complexo foi um dos primeiros patrimônios soviéticos inscritos na Lista do Patrimônio Mundial em 1990.
 

E-mail: contato@cbr.tur.br
Facebook: http://www.facebook.com/conexaobrasilrussia
Youtube: https://www.youtube.com/user/conexaobrasilrussia
Conheça Kaliningrado: http://www.cbr.emp.br/kaliningrado
Conheça Petrozavodsk: http://www.cbr.emp.br/petrozavodsk
Conheça Vladivostok: http://www.cbr.emp.br/vladivostok
Conheça Novosibirsk: http://www.cbr.emp.br/novosibirsk
Boa viagem =D





CBR - Conexão Brasil Rússia

Facebook Youtube

Conexão Brasil-Rússia - CBR

Caixa Postal 198 - Bento Gonçalves/RS
Fone: (11) 3181.8896
CEP: 95700-970

central do cliente

termos de uso
desenvolvido por AT